sábado, 6 de março de 2010

Passerà - Passará

Passerà - Passará

As canções não se escrevem
Mas nascem por si
São as coisas que acontecem
Cada dia em torno a nós
As canções basta colher-las
Existe uma também para você
Que torna mais difícil viver
E não sorri nunca.
As canções são ciganas
E roubam poesias
São enganos como pílulas
Da felicidade
As canções
Não saram
Amores e doenças
Mas aquela pequena dor
Que existir nos dá.
Passará , passará
Se um
Rapaz e uma guitarra estiver ali
Como você, na cidade
A olhar esta vida que não vai
Que nos mata as ilusões
E com a idade das canções
Passará sobre nós
Terminaremos tudo em um banco antes ou depois
Mas porque, e quem sabe
As angústias de uma rica pobreza
A falar dos amores que não tens
A cantar uma canção que não sabes como faz
Porque a perdeu dentro
E se lembra somente
Passará
Em um mundo de automóveis
E de grande velocidade
E por quem chega sempre último
E por quem se fala adeus
Por quem se debate nos obstáculos
Da diversidade
As canções são vaga-lumes
Que cantam no escuro.
Passará antes ou depois
Esta pequena dor que existe em você
Que existe em mim, que existe em nós
E nos faz sentir como marinheiros
Em poder do vento e da saudade a cantar uma canção que não sabes
Como faz
Mas aquela pequena dor que seja ódio, ou que seja amor
Passará.
Passará, passará.
Também se farás
Somente la la la
Passará, passará
E a qualquer coisa uma
Canção servirá
Se a tua pequena dor
Que seja ódio, ou que seja amor
Passará.

(Álbum: Equilibrio Distante - Renato Russo)
(Composição: Aleandro Baldi/Bigazzi/M. Falagiani)

video

Nenhum comentário: