sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Despertada, des-atenta e declarada

O calor de um inferno interno
vão além do meu choro de sangue,
faz-me desejar acordar de um pesadelo,
em que me vejo desnuda
num completo desprezo.

Minha alma vaga silenciosa e calma
nesse irônico e incômodo desejo
e crê que algum dia
o espelho realizará o anseio
de não mais mostrar, o que vejo.

Franca Leal

Um comentário:

WML disse...

" crê que algum dia
o espelho realizará o anseio
de não mais mostrar, o que vejo"

Belos Versos.